domingo, 2 de outubro de 2016

De príncipe a sapo (e daí?)

Tem uma música de Ivan Lins que diz: "O amor tem feito coisas que até mesmo Deus duvida...", acho que é bem por aí o conto de hoje. Espero que gostem!



DE PRÍNCIPE A SAPO (e daí?)


 *

 

Daí que você idealizou seu grande amor desde pequena, e ele mudava de feição para cada história de amor que você ouvia, dependia de onde vinha a história. Ele já teve a cara do primeiro namorado da sua prima mais velha, e teve a cara daquele carinha do filme da sessão da tarde, sabe?Então! Você ficou obcecada por ele e não o perdia de vista, qualquer filme no cinema ou tv em que trabalhava, lá estava você sonhando acordada. Daí que seu quarto parecia um santuário de tanto pôsteres colados na parede, e ainda tinha aquele enorme (tamanho natural!) que você beijava na boca, às escondidas.
Daí que na época do colegial você conheceu outros príncipes. Para cada ano, novos começos, novos rostos e novos amores. Daí que nos três anos do colegial você teve três amores diferentes! E em cada um você identificava uma semelhança com o Encantado, ou com o carinha da sessão da tarde. Aquele do primeiro ano era muuuito parecido até no jeito como ele penteava o cabelo para o lado…― suas amigas não viam nada demais nele. Eram cegas! Já o outro do segundo ano, tinha o sorriso e a cor dos olhos sem tirar nem pôr. O do terceiro ano não se parecia fisicamente, mas além de lindo, tinha o mesmo nome de um dos personagens que o carinha interpretou: Lucas! De concreto mesmo esses três garotos guardavam um ponto em comum: nenhum deles notaram sua existência.
Daí que você passou três anos de sua adolescência amando meninos perfeitos, de belezas estonteantes e populares, mas que nem sabiam teu nome. Daí que o tempo foi passando…passando… e o Encantado, nada!
Daí que você passou a se aventurar pelos sites de relacionamentos, detalhou o perfil de seu príncipe, mas os que surgiram tinham cara de terroristas! Daí que você passou do entusiasmo à decepção em menos de um mês. Desconectou.
Daí que no mundo real você passou às cegas, não conseguiu ver em ninguém qualquer interesse por sua pessoa. Não que você fosse feia, simplesmente não enxergava possíveis amores ao seu lado. Todos seus amigos, antes de serem amigos tentaram uma aproximação mais ousada e você não lhes deu condições, porque nenhum deles se encaixava no molde daquele amor desenhado e maturado em sua cabeça.
Daí que para a festa de confraternização no trabalho, a decisão foi de fazerem um “choco-oculto” e você deixou para comprar o seu a caminho do escritório. O proprietário da loja, e dois funcionários atendiam os clientes com muita atenção, você entrou sorrindo, pois achou graça uma loja de produtos de chocolate ter como logotipo um sapo bem gordinho com olhos bem espertos. Olhando bem, até parecia o dono do estabelecimento! Foi tão espontâneo e sincero o sorriso que o proprietário lhe fez um elogio e te presenteou com uma trufa de maracujá. Você achou simpático e como forma de agradecimento comprou mais de um produto.
Daí que depois desse episódio vocês estão se vendo com muita frequência ― todos os dias da semana, a loja fica no caminho do trabalho, né?― e nos fins de semana, tem sempre um programa a dois no roteiro. Daí que você já ganhou um pouquinho de peso por conta dos doces-presentes, mas nem se importa. Daí que você não sabe se é efeito do chocolate, afinal ele não estimula a produção de serotonina? Porque você anda vendo semelhanças do príncipe encantado naquele sapinho gordo…

*Romero Britto Mini Príncipe Encantado Sapo(Google Images)

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário